Encontre Livros em Promoção nos nossos Principais Parceiros

Livraria da Travessa  Livraria Cultura Livraria da Folha Submarino

Lady Charlotte and Mr. Philip ¤ Capítulo 8

***

Leia Os Capítulos 7 parte 2, 7 parte 165, 4, 3, 2, 1

A véspera do Piquenique

No dia seguinte, Seth e George acordaram cedo.
- George meu amigo, teve boa noite de sono? Conseguiste dormir? Perguntou Seth.

- Ora, Seth tive a melhor da noites. Depois de dançar com a senhorita Anny,  só espero que ela tenha gostado mais de dançar comigo do que com aquele tal de  Tyler ou Tilney, sei lá o que. Disse George Preocupado.

- Ah, e que história aquela de te apresentar a senhorita Anny? O que houve? Perguntou intrigado.

George lhe contou tudo o que Anny lhe dissera e pediu o mesmo que tivesse discrição. Afinal se ela queria continuar conhecendo-o valia o risco. E era um risco que ele estava disposto a correr. Pois tinha certeza de que Anny tinha tudo o que ela buscava em uma mulher.

- Pois bem George farei como quiser. E fico feliz por ti meu amigo. Quem dera eu tivesse essa sorte. Disse Seth confusamente.

George ficou encarando Seth até que ele se intrigou e perguntou:
- Por que está me olhando com essa cara, George?

- Meu amigo, eu entendo que você teve um trauma no passado e não tinha a intenção de se envolver com alguém novamente, mas pare de ser tolo! Aconteceu!

- Desculpe-me, mas não o compreendo!

- Compreende sim, só que você não quer admitir nem para mim e nem para você!

George bem sabia o porque daqueles olhos azuis radiantes, mas sabia que seu amigo não iria admitir, ainda que fosse para ele, mas ele o conhecia bem, e lamentou que os fantasmas do passado ainda assombravam seu amigo.

-Por acaso todo esse pensamento é na Srta Anny, exclamou Seth com ar irônico. 

George rapidamente saiu de seus pensamentos, ele segurava uma xícara de chá e percebeu o líquido fazer ondulações severas no interior da xícara.

 -S-Seth, colocando a xícara segura sobre a mesa, diferente de você, eu costumo admitir meus pensamentos para os amigos.

Seth que estava do outro lado da mesa, apreciando o café da manhã, não se conteve com o embaraço de George ao ouvir o nome de Anny, pensou como ela era sortuda de estar ganhando o coração de seu amigo.

George apenas deu de ombros, e ficou feliz em ver o quanto seu amigo estava diferente e feliz.

E os dois seguiram em conversas descontraídas.

-Sra. Daves, Sra. Daves, berrava a criada mais antiga da família enquanto disparava batidas na porta.

- Posso saber o que esta acontecendo Margareth?! Porque grita desesperada??!

- Perdoe-me senhora, é que chegou esta correspondência agora a pouco para a querida Nane.

Anny Daves era uma Jovem muito querida pelos criados, sempre foi do tipo tagarela e curiosa, tratava todos como se fossem de sua própria família, não que Charlotte fosse diferente, mas sua timidez não a deixava ir além das questões básicas, Margareth amava todas, mas tinha uma preferência a mais por Nane, como costumava chamá-la.

- Vem de remetente dos Tyler, e Nane foi para seu passeio no campo, então achei que deve....

- Pelo amor de Deus Marg.
Puxando a correspondência das mãos da criada.

- Pare de tagarelar e deixa eu olhar essa correspondência.

- Mas senhora...
Respondeu Margareth sem reação.

- Nane não vai gostar de receber uma carta violada.

Sra Daves a fitou-a como se fosse pular a qualquer hora na mulher, mas se controlou.

- Ora Marg, Anny não tem que gostar e discordar de nada, e por favor, traga o meu chá, porque seus gritos me deixaram com enxaquecas.

- Como a senhora desejar.
E foi de encontro a escada feita de Mogno africano. 

Querida Srta Anny Daves.
- Chamou ela de querida, ótimo sinal. Resmungou.
Ontem o baile foi encantador, posso dizer que em partes foi pela sua honrosa presença, não é em qualquer baile que encontramos moças como a senhorita, foi difícil ver todos aqueles olhos cercando-a, nossa dança vem ocupando os meus pensamentos, não quero parecer ousado para a senhorita, mas se me der a honra, gostaria de convidá-la para se juntar a mim e minha família em um almoço em nossa residência no sábado, gostaria que chegasse mais cedo para que eu possa lhe apresentar nossa propriedade. Ficarei ansioso pela resposta, e diga ao senhor e senhora Daves que em uma oportunidade maior o convite  ira lhes incluir, e que não pensem mal do meu caráter com este convite unitário, só quero conhecer melhor a dama que tive a honra de compartilhar uma primeira dança.
Atenciosamente
Mr. Tyler.

- Pensar mal Mr. Tyler, quem ousaria pensar mal do senhor?!
Sussurrou sra Daves com sorrisos sem fim.

- Minha querida Anne se tornando uma Tyler, não poderia ficar menos contente e nem recusar tal convite.

Sr Daves serrando os olhos, ouvira todos os sussurros da mulher, e resmungou com ironia ainda no embate se abriria os olhos ou não.
- Pergunte se Anne aceita!!

Agradeceu por ter ficado de olhos fechados, pois sabia o olhar fatal que a mulher destinava a ele. 
- Ora meu querido, Anne não está louca de recusar este convite, não mesmo.
- Falou a mulher enquanto se enrolava no camisão e se dirigia ao toilette.
 - Não está louca, berrou a mulher de lá , fazendo Sr. Daves desistir do sono.

***

Para Anny o passeio no campo era a sua parte preferida do dia. Por isso detestava as épocas chuvosas que a impediam de caminhar. Sentia - se revigorada com aquelas belas paisagens e elas a deixavam inspirada. Vez por outra levava seus materiais de desenho. Mas esses últimos dias ela só pensava em esbarrar com George em uma colina ou outra. Nem se sentia cansada do baile de ontem. Ela pensava consigo: Amanhã é o picnic, verei George, mas me deleitaria imensamente encontrá-lo hoje para uma de nossas conversas, no baile todos ficam olhando não temos a oportunidade de sermos nós mesmos... e então mergulhou em seus pensamentos .

Retornando pelo bosque que dava acesso a casa dos Daves, Anne caminhava lentamente quando se deparou com Charlotte apreciando o belo jardim da residência.
- A dama resolveu sair?!

Com um riso amarelo, Charlotte virou para a irmã e disse.
- Minha querida, talvez não tenha percebido o quanto Mr Phillip fez eu dançar ontem, estava exausta, e depois do café matinal, vim até aqui pegar um pouco de ar.

Anny que olhava desconfiada para a irmã, não era tola de não notar a felicidade brotando em seus olhos.
- Anne!! Tá me ouvindo??

Anny percebeu o quanto a luz do dia fazia bem a irmã, mas aquele brilho era diferente, sua irmã estava apaixonada, compartilhavam coisas suficientes para perceber, Anne era muito observadora, não é por acaso que sabia cada detalhe do jardim.

- Annyyy!!! Continuou - Meu Deus Anny, no que tem pensado tanto esses dias, posso saber o que anda te perturbando??!

- Sim, e eu posso saber porque você não me disse que o Mr. phillip roubou seu coração de vez.

Charlotte ficou com o rosto branco, e a única reação que teve foi se jogar aos braços da irmã e chorar.

- Oh Anny, sei que ninguém esconde nada de você, como pude ser tão fraca, como pude deixar que isso fosse acontecer, nem sei os reais sentimentos dele, ele tem um coração tão duro, querida irmã, quase impenetrável, mas eu o amo, meu Deus, eu o amo tanto.

Anny ficou assustada com a reação da irmã, abraçando-a disse - Não fique assim, Char, não chore, você não é tola. E virando o rosto da irmã para encarar o seu, continuou - Talvez ele também sinta algo por você, talvez esteja querendo apenas perceber isso, por isso os tantos convites para Bailes, jantares, picnics.

As duas riram suavemente ao lembrar do picnic no dia seguinte, e limpando o rosto, Charlotte concordou com a irmã que sorriu segura.

- Nanee, Nanee.
- Marg, nossa. perdoe por não ter provado seu bolo de maçã, estava indo na direção dele agorinha.

Margareth parou entre as duas jovens e com um sorriso disse - Aconselho a senhorita ir antes até a senhora sua mãe, chegou uma correspondência vindo dos Tyler.

Anne a olhou com surpresa.
- Dos Tyler?? Tem certeza Marg. A criada apenas balançou a cabeça em confirmação.

- Oh céus, será que dancei tão mal ontem!!

Charlotte e Marg riram do bom humor que Anne sempre levava as coisas e apressando a irmã a ir, Charlotte a olhou apreensiva.

Anny apertou o passo em disparada.
- Guarde uma fatia de bolo pra mim, Marg, uma jovem apaixonada tende a comer demais.

Marg confusa perguntou - Mas o que ela tá falando? E com o rosto corado, Charlotte apenas deu de ombros e agradeceu pela criada não ter percebido que Anne falava dela.

Marg, vamos até o  bolo.
E as duas seguiram até á porta dos fundos que dava acesso a cozinha.

Após Charlotte se deliciar com o Bolo de Marg e beber o seu chá, subiu até o quarto para  falar com Anny.

- Me diga, senhorita, o que faz aí deitada na cama, olhando para o teto e com um papel na mão?

- Ahh, Charlotte! Que susto!

Charlotte deu risada e entrou para o quarto. 

- Não é um simples "papel", senhorita, é algo que pode mudar o meu destino! Eu tenho que escolher qual caminho seguir, qual estrada trilhar, tenho que decidir o meu futuro, tenho que decidir qual sobrenome vou querer, qual casa vou governar, qual será o melhor esposo, quem será o pai dos meus filhos...

- Anny!- interrompeu Charlotte- Pare de tanto drama e me conte logo o que se passa!

- Leia você mesmo, minha irmã.

Charlotte leu rapidamente a carta do Sr. Tyler e exclamou:
- Que atrevido! Quem ele acha que você é? Como ele pode ser tão audacioso? Querer que você vá sozinha na casa dele? Não tem nem palavras para descrever o quão ridículo é este convite!

- Charlotte, que exagerada! Quem está fazendo drama agora és tu!

- Não estou fazendo drama, ele infringiu todas as normas de etiquetas possíveis!

- Ora, torno a dizer que é exagero teu. Ele apenas quis ter a oportunidade de me conhecer melhor.

- Anne, ele pode te conhecer muito bem dentro do bom senso das normas da sociedade. Foi uma falta de respeito com você! Quem ele pensa que você é? Ele já deixou claro que não tem boas intenções, e como você é minha irmã e já tem idade o suficiente para entender, te falo francamente que o que pareceu nesta carta é que ele acha que você é uma mocinha ingênua e que o que ele quer é te desonrar!

- Charlotte!

- Não seja tola, Anny! O papai já viu esta carta?

- Não, mas a mamãe viu e não teve a mesma interpretação que você!

- Por certo não! Ela deve ter apenas lido de: Sr.Tyller para Srta° Anny Davis" e já deve ter imaginado você se casando com ele! Me dê está carta aqui!

- Charlotte, me devolva! Esta carta não é sua!

- Está certo, mas exijo que mostre ao papai!

- Não!

- Então eu mesmo vou contar! Tenho certeza que ele responderá a altura para aquele audacioso!

- Charlotte, EU VOU.

Gritou Anny antes de sua irmã virar fitando-a, incrédula do que acabara de ouvir. 
- Meu Deus Anny, voc- você não está no seu juízo perfeito, como assim você vai?!

- Você sabe que nossa mãe não vai me deixar em paz, e nem vai deixar nosso pai em paz, e ele é uma pessoa legal, e também...

- Você está fugindo dele, não é?! Interrompeu Charlotte.

- Dele quem Char?!

- Ora Anny Daves, lhe conheço muito bem, sei que você lutaria muito com um sentimento que você acha que vai lhe afetar, o seu orgulho lhe mata.

- Me dê essa carta.

E puxando a carta da mão de Charlotte continuou.
- Eu vou e está decidido, leve minhas desculpas para os que vão estar no pic nic. Passando pela irmã saiu, e fechando a porta atrás de si, foi a procura da mãe para lhe informar-lhe que aceitara o convite. Mas as palavras de Char não saíam de sua cabeça." O seu orgulho lhe mata" - Como ela ousa falar isso de mim. Derramou uma lágrima quando sentiu que aquelas palavras lhe afetaram.

***

Todos estavam ansiosos por aquele picnic. Se recolheram cedo em preparação ao dia seguinte.


Leia O Capitulo 9


Com contribuições de Michelly Cruz, Camila Ribeiro e Angelica Damasceno


Digite seu Email e Fique por Dentro de Tudo que Acontece Aqui, Posts, Promoções e Sorteios:


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comentários são sempre bem vindos.
Marque a opção Notifique-me para receber a resposta ao Comentário.
Se quiser que eu responda por email, não se esqueça de deixá-lo aqui.
Se encontra algum erro no blog por favor nos avise!
O Comentário estará Disponível Após Moderação.

Quer deixar seu link? Use essa Dica

Topo