Encontre Livros em Promoção nos nossos Principais Parceiros

Livraria da Travessa  Livraria Cultura Livraria da Folha Submarino

Lady Charlotte and Mr. Philip ¤ Capítulo III

***

Leia o Capítulo 2

Remoendo Sentimentos Antigos



Depois que a carruagem do Sir. Davies partiu, Sr. Philip entrou em sua casa perplexo ainda com o que ouvira naquela noite. Srta Davies o havia intrigado, pois nunca antes uma jovem, sendo ainda tão jovem, tivera a coragem de contrariar suas idéias e ao mesmo tempo deixá - lo sem fala.
Foi então para o seu quarto e lá ficou pensando na Srta. Davies e em suas palavras...

- O que está acontecendo comigo? Há tempos que meus pensamentos não são invadidos por outra senhorita que não seja a... O que importa? É melhor eu parar de conjecturar em alta voz antes que Mason pense que estou maluco.

Sr. Philip sabia que era bastante provável que encontrasse Srta. Davies novamente... E mau poderia esperar por esse reencontro. Ao encarar esse anseio dentro de si, Sr. Philip se espantou e procurou racionalizar esse desejo por hora estranho, pois tratava-se de uma dama que acabara de conhecer.
E não queria sentir -se perdido como um dia sentira.  Sabia que isso poderia ser uma simples curiosidade, mas receava entregar em tão pouco tempo a Charlotte poder sobre seus pensamentos.

Na verdade as intenções de Sr. Philip com este encontro com a Srta. Charlotte Davies  nunca fora se apaixonar. Antes da garota entrar em sua casa ele tinha poucas expectativas quanto a sua beleza e personalidade, que foram superadas assim que a viu e conversou com ela. No entanto, o casamento não estava em seus planos, não que ele buscasse fazer algo que desonrasse a moça e sua família, mas por que tinha outras razoes para cortejá-la que não eram amor ou casamento.
A mãe do Sr. Philip queria que seu filho encontrasse uma esposa de seu nível social, mais rápido o possível, ela sabia que seu filho estava infeliz, desde que seu coração fora partido por Louise, e buscava de todas as maneiras fazer o seu filho se apaixonar por uma das filhas de suas amigas e vizinhas, mas ele não estava interessado em nenhuma delas. 
O homem já não suportava mais a constante intromissão da Sra. Philip em sua vida, então tramou encontrar uma jovem por quem fingisse esta apaixonado e a cortejaria, as fofocas e a própria família da moça fariam o resto do trabalho em espalhar a noticia pela cidade, e sua mãe saberia delas e o deixaria em paz por certo tempo.
Ele sabia que esse plano era egoísta e insensível com os sentimentos da moça, mas desde de seu coração fora partido, ele havia se tornado um homem mais frio, embora com aparentasse ser carismático e  sensível.

Há Cerca de 5 anos, Sr. Philip conhecera Louise, ela era jovem, na época com seus 18 anos, era Perspicaz e atraente, uma bela mistura. Eles tinham longas conversas e decidiram noivar em segredo. quando este veio a tona, a mãe de Louise a convenceu de que ele não tinha posses o suficiente para ser seu marido e que deveria atrasar esse relacionamento. Considerando que ele só tinha 22, poderiam esperar. Mas Louise recusou-se a desatar o noivado então sua mãe a mandou para a França. Para morar com tia, aprender francês e esquecer Seth. Eles comunicaram por cartas por pelo menos um ano, quando as cartas pararam de chegar. Louise não escrevia mais...



Inicialmente Seth não entendeu porque as cartas pararam ou porque não obteve mais respostas. Ele amava Louise com seu coração e alma e nunca imaginou que ela seria capaz de destruí-lo desta forma. Planejou ir à França, encontrá-la em segredo, dizer o quanto sentia sua falta, de suas conversas e o quanto a amava, mas antes de largar tudo e ir em buscar de sua jovem amada, descobriu que ela, que sempre lhe jurou amor eterno estava casada com um homem muito mais rico e poderoso que ele. Sr. Phillip não entendeu porque ela aceitou. Sabia que seus pais estavam em busca da ascensão na sociedade,  mas nunca imaginou que Louise queria apenas um status na sociedade.  E por culpa dela, nenhuma outra jamais teria seu coração,  e ele nunca mais quis ouvir o nome de Louise em sua presença.

Mas aquela mulher. Aquela que leva o nome de Charlotte. Despertou nele algo novo, algo que ele há tempos não sentira , seu jeito, sua personalidade, sua opinião tão sincera e firme, o fizeram pensar de uma forma realmente única, não! Dizia ele, ele não podia permitir-se sentir daquele jeito, não era sua intenção se apaixonar por ela, isso estava fora de seus planos, ela era bonita, de fato, mas tudo que ele queria naquele momento era não passar pelas mesmas experiências horrendas que passara antes, o medo e a raiva o invadiam, sentia repulsa só de pensar em passar mais uma vez por tudo aquilo, estava decidido - ele pensou - vou apenas parar de ser tão tolo e parar de tentar cortejar uma mulher que eu pensaria estar apaixonada por mim. Como sou tolo! Sr. Philip estava decidido que não importava o que acontecesse iria agir normalmente, em presença de Srta. Charlotte, como a educação o ensinara , mas é claro, sem segundas intenções.

Quando Charlotte pôs os pés em seu quarto só pensava em uma coisa: Como ela fora tola de expor
seus pensamentos de tal maneira, a ninguém mais ninguém menos do que Sr. Philip. Oh céus! O que pensara ela estar fazendo naquele momento? O que ele pensaria? O que seu tio pensaria? Uma dama da idade dela não deveria expor seus sentimentos e suas opiniões da forma que ela expressara, não iria pedir desculpas, por que ela era muito orgulhosa para fazê-lo, ela não tinha sido muito educada é claro pensou ela, mas pelo menos uma vez na vida sentiu-se absolutamente satisfeita com o que dissera, e falou exatamente o que queria dizer, por isso naquele momento ela sorriu, não queria se casar, não queria se casar com ninguém, muito menos sem amor, e com alguém como Sr. Philip, ela sabia que ele era frio, ela não sabia o porque mas, a frieza as vezes aparecia nele como se fosse um raio rápido de uma luz do sol, Charlotte entendia isso, sabia reconhecer pessoas frias, lidara com elas por certos tempos em sua vida, Charlotte estava certa de que não importa o que acontecesse agiria de forma normal, espontânea e educada, da forma que um dia fora ensinada. Agiria desse modo na presença de Sr Philip, quem precisa de homens? Pensou ela. Quando se tem livros e opiniões românticas para lhe agradar? Sr Philip - pensou ela - acabara de excluir pelo menos 10 pontos do que ela pensara que ele fosse. Talvez fosse gentil, um cavalheiro perfeitamente gentil, mas tão frio, quanto a neve do inverno, e isso, Charlotte mais do que ninguém, detestava .


Leia o Capitulo 4

>>>¤<<<

Com Contribuições de:
Angélica Damasceno, Camila Ribeiro, Emily Correia, Lizandra Catharine,  Suelen Trindade, Raiane Santos, Raquel Fernandes


Digite seu Email e Fique por Dentro de Tudo que Acontece Aqui, Posts, Promoções e Sorteios:


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comentários são sempre bem vindos.
Marque a opção Notifique-me para receber a resposta ao Comentário.
Se quiser que eu responda por email, não se esqueça de deixá-lo aqui.
Se encontra algum erro no blog por favor nos avise!
O Comentário estará Disponível Após Moderação.

Quer deixar seu link? Use essa Dica

Topo